a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Política

Publicidade

“2017 foi um ano de retrocessos, mas de muita luta”, diz Tortelli

O ano de 2017 ficou marcado na história do Brasil como um ano de retrocesso

Por: Asscom
Fotos: Divulgação
Foto Marcelo Bertani  Agência ALRS

A avaliação é do deputado estadual Altemir Tortelli (PT). Para o parlamentar, “a aprovação da reforma trabalhista e a proposta de reformar a previdência mostra o quanto Temer e seus aliados governam para os ricos, para os empresários, em detrimento daqueles que fazem a roda da economia girar. Engana-se quem pensa que o golpe foi só contra Dilma. A agenda programática colocada em curso pelo governo ilegítimo que se instaurou no Palácio do Planalto revela que a grande vítima de todo o processo golpista é a população brasileira, os trabalhadores e as classes populares”.

De acordo com Tortelli, aqui no Rio Grande do Sul não é diferente com o Sartori, que é do mesmo partido de Michel Temer. “Para o Governo Sartori, o Estado é concebido como um entrave ao desenvolvimento e o desenvolvimento rural é focado na agricultura patronal e no agronegócio. A partir desta concepção, Sartori reedita o receituário neoliberal, com redução de investimentos, privatizações, extinção e desmonte de órgãos, redução do quadro de pessoal e paralisação de programas. O Governo do Estado, que parece desconhecer a importância do setor agropecuário para o desenvolvimento do Estado, extingue a Fepagro e a Cesa, fragiliza a Secretaria de Desenvolvimento Rural e a Emater e terceiriza a inspeção sanitária de produtos de origem animal”, destacou o deputado.

Num balanço das suas atividades parlamentares em 2017, Tortelli se diz satisfeito por sempre ter atuado em benefício dos trabalhadores urbanos e rurais. Ao lado do senador Paulo Paim, o deputado percorreu diversas cidades do Estado para alertar a população dos riscos de uma reforma previdenciária nos moldes que Temer quer. “Estamos diante de um ataque gigantesco à nossa história de luta social e de conquistas de direitos. Trata-se de uma reforma neoliberal que desmonta a previdência pública no Brasil”, afirmou Tortelli. Segundo ele, a proposta do governo ilegítimo compromete o acúmulo de conquistas resultante da luta popular e sindical protagonizada pelos movimentos sociais nas últimas décadas.

Ao longo do ano, outros temas importantes para os gaúchos foram tratados pelo deputado Tortelli, como a questão do decreto 53.304/2016, que dispõe sobre a venda e o manuseio de produtos como carnes e derivados, queijos e fiambres. Tortelli cobra a revogação do decreto assinado por Sartori, pois a norma está prejudicando milhares de trabalhadores. Outro assunto de destaque foi a Educação. O deputado esteve ao lado dos professores que, mais uma vez, lutaram incansavelmente neste ano de 2017. Contra o parcelamento dos salários dos servidores, os professores cruzaram os braços numa das mais longas greves da categoria e fazem um enfrentamento direto contra os retrocessos promovidos por Sartori. “Mais uma vez, os docentes dão uma aula de cidadania não só aos alunos, mas a toda a sociedade gaúcha”, diz o parlamentar.

Saúde e Meio Ambiente

No início deste ano, o deputado Tortelli assumiu a presidência da Comissão de Saúde e Meio Ambiente (CSMA) da Assembleia Legislativa para o biênio 2017/2018. Para o deputado, Saúde e Meio Ambiente estão entre as pautas prioritárias para a sociedade gaúcha. “São áreas estratégicas que exigem toda a nossa atenção, para darmos nossas contribuições enquanto parlamentares”, resume. Ao longo deste primeiro ano na presidência da CSMA, foram realizadas mais de 40 audiências públicas para debater mudanças climáticas, sustentabilidade, impactos ambientais, crise na saúde, dentre outros temas de relevante importância para a sociedade gaúcha.

A Comissão realizou atividades em diversos municípios gaúchos, levando a sociedade a participar dos debates. Porto Alegre, Erechim, Pelotas, Santo Antônio do Palma, Charqueadas, São Lourenço, Tavares, Santa Maria, Gravataí e Novo Hamburgo são os municípios que receberam os encontros da CSMA.

“A Situação Atual do Programa Mais Médicos para o Brasil” foi tema de uma audiência pública realizada em julho no Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa, em Porto Alegre. O evento foi proposto pelo deputado Tortelli e teve a presença da ex-presidenta Dilma Rousseff, criadora do programa Mais Médicos, em 2013, contribuiu para engrandecer o debate sobre o programa que foi moldado para combater a desigualdade social no país, mas que vem sendo enxugado pelo governo federal.

De acordo com Tortelli, o objetivo da audiência pública foi fazer um balanço do programa Mais Médicos que vem diminuindo a abrangência desde que Dilma Rousseff foi retirada da presidência da República. “A elaboração do Mais Médicos foi uma decisão política extraordinária, pois fez a diferença na vida de 63 milhões de brasileiros. Antigamente era comum o médico consultar sem olhar para o paciente. Com o Mais Médicos, os profissionais voltaram a olhar para as pessoas, a tocá-las”, disse o parlamentar. Desde que Temer assumiu o governo, o programa perdeu mais de três mil médicos e deixou de atender quase 10 milhões de pessoas. “Problemas como o sucateamento do Mais Médicos e a falta de repasse do governo Sartori aos hospitais gaúchos agravam a crise da saúde pública no Estado e no Brasil”, finaliza Tortelli.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE