a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Geraldino Silva

Opinião

Os segredos de uma Família Feliz. O perdão na família

Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam;

(Salmo 127:1).

Que tipo de lembranças vem a sua memória quando você escuta a seguinte frase familiar:“Lar, Doce Lar”? Amor, Porto Seguro, Alegria, Felicidade, Descanso, Realização, Cumplicidade, Cura, Compreensão e Perdão?

Se você mencionou alguma destas palavras, PARABÉNS! Foi exatamente com esta finalidade que Deus criou a FAMÍLIA, criou o LAR.

No livro de Gênesis, Moisés escreve a história da criação, inclusive a história de como Deus fez o homem e a mulher, e destes a maior instituição já criada, A FAMÍLIA!

Deus nos criou e instituiu o casamento e a família como a mais fundamental das relações humanas, e por falar em relacionamento, vivemos em um mundo totalmente conturbado, cheio de conflitos, crises e brigas, são tantos os atritos que afetam os relacionamentos familiares, que se estes não forem resolvidos e curados no seio familiar, o divórcio será o próximo passo; E por falar em divórcio, infelizmente tornou-se prática comum em nossos dias e não são poucas as famílias que estão sendo derrotadas por este gigante.E sabe por que o divórcio tem sido a primeira alternativa?

Simplesmente pela ausência da dádiva chamada PERDÃO!

Neste segundo texto da série: Os segredos de uma família Feliz, abordaremos o tema o perdão na família, e para tal iremos discorrer sobre a família de José.

Você se lembra do meu questionamento inicial? Que tipo de lembranças vem a sua memória quando você escuta a seguinte frase familiar:“Lar, Doce Lar”?

Pois bem, no caso de José, tal frase não passaria de ilusão vazia! Pois o que esperar de um lar onde há abusos, traição e abandono? Haverá esperança de recuperação dos terríveis erros do passado?

Certamente que sim! O desafio nestes casos é o retorno ao padrão de Deus para nossas famílias, pois somente a partir daí, poderemos iniciar o processo de cura e restauração.

Antes de entrarmos propriamente na história familiar de José e como o processo de perdão, cura e restauração aconteceu, permita-me fazer uma ilustração com o intuito de despertar o teu interesse:

Querido leitor, quando temos dificuldade com a televisão, entendemos que o fabricante, que escreveu o manual para o usuário, no caso para eu e você, tem muito mais conhecimento sobre o aparelho do que nós, logo, detectamos o problema, recorremos ao manual e verificamos qual o capítulo para resolver o problema. Quando vejo tantos problemas nas famílias de hoje, a bíblia faz sentido, pois nosso Criador, que a escreveu, e que fora o criador da família, a escreveu com o objetivo de que ela seja uma espécie de “manual do usuário”, porque Deus, simplesmente sabe mais a respeito da família do que nós.

Precisamos ler a bíblia para construir famílias fortes e que aprendam a perdoar, pois nela encontramos princípios e instruções que nos levarão a construir e acima de tudo preservar nosso lar em perfeita harmonia e paz, a bíblia é um guia, faça uso dela e sua família certamente será feliz.

Quem nunca ouviu a história de José, que de escravo se tornou Governador do Egito? Realmente a história é inspiradora, porém você já ouviu também sobre a atitude e a forma perdoadora dele para com os seus irmãos que o venderam?

Pois bem, prepare-se para ser desafiado(a) e confrontado(a) a liberar perdão a teus ofensores, a partir desta linda história, aliás, prepare-se também para aplicar estes princípios em tua família.

1º – Ciúme e Inveja são sentimentos destrutivos que não podem ser alimentados

Vendo, pois, seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos eles, odiaram-no, e não podiam falar com ele pacificamente.” Gênesis 37:4.

Os irmãos de José conspiram contra ele, o vendem como escravo, e José vai parar no Egito. Os maiores atritos e brigas no âmbito familiar são movidos por sentimentos desta natureza.

2º – O sentimento de Culpa

Vinte anos se passaram desde o fato da venda de José como escravo, e os irmãos agora estão amargamente experimentando o sabor do engano, da culpa e da falta de arrependimento.

Os irmãos de José confessaram: “somos culpados acerca de nosso irmão, pois vimos à angústia da sua alma, quando nos rogava; nós porém não ouvimos, por isso vem sobre nós esta angústia.” Gênesis 42.21

Essa lição serve para nós: Quantas pessoas estão vivendo na angustia, na depressão e tristeza por estarem guardando segredos há anos?

Se arrependa, confesse e o poder curador de Cristo te restaurará!

3º – O milagre do Perdão

Os anos se passam, e a escassez assola a terra e os irmãos de José descem ao Egito para comprar mantimentos, eles jamais imaginariam quem era o governador do Egito naqueles dias! A bíblia vai dizer: José, pois, conheceu os seus irmãos; mas eles não o conheceram. Gênesis 42.8.

Após tanto tempo José estava Irreconhecível, mas seus irmãos não! José os reconheceu.

É provável que um filme tenha passado na mente de José, a cena de ter sido vendido e abandonado por eles. José poderia ter retribuído e agido como diz o adágio popular “pagar na mesma moeda”. A mágoa, a dor da traição, do abandono, de ser vendido e humilhado não tinha minado o coração de José. Ao passo que a bíblia vai narrar: “E disse José a seus irmãos: Eu sou José; vive ainda meu pai? E seus irmãos não lhe puderam responder, porque estavam pasmados diante da sua face.” Gênesis 45.3.

José perdoou seus irmãos sem qualquer reserva, precisamos estar dispostos a perdoar nossos familiares ou quem quer que nos magoe da mesma forma.

Que atitude louvável e tão rara em nossos dias. Sabe o que eu aprendo com José e com seu coração perdoador:

A – O Perdão aproxima e rega de amor o relacionamento entre ofensor e ofendido;

B – O Perdão une os laços que foram rompidos;

C – O Perdão estanca o sangramento e cura as feridas para sempre;

D – O Perdão absolve o ofensor e gera vida ao ofendido;

E – O Perdão nos faz lembrar do grande AMOR de Deus;

Querido leitor, quer que sua família seja feliz? Pratique este segredo: O Perdão!

Finalizo com o texto do apostolo Paulo para a igreja que estava na cidade de Éfeso:

“Sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.” (Efésios 4:32).

Publicidade
Publicidade