a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

José Adelar Ody

E o estacionamento rotativo pago?

ULTIMO CAPITULO DA NOVELA - BURACO TIRADENTES (1).MOV.Still001

O governo municipal do senhor Luiz Francisco Schmidt vem sofrendo fortes ataques nas redes sociais.

Tudo bem que rede social é rede social, e como o papel que se dizia antigamente, aceita qualquer coisa.

A verdade é que se espalha e representa o que boa parcela da população pensa e nem tudo postado, necessariamente boato é. Não.

Vejam o caso da cratera aberta na avenida Tiradentes, em frente ao Grupo Atmosfera e outras empresas importantes.

Já vão semanas e a solução se parece como cola de farinha – saudades dos velhos tempos -,

gruda, mas não segura. Solta.

Ou seja – a solução demora. E como!

Outro caso é o do estacionamento rotativo pago.

Era para duas semanas atrás, mas não foi.

Compreende-se os passos burocráticos – mas não se compreende, por exemplo,

o município continuar

guinchando veículos (a lei continua valendo, portanto é legal), mas devia, por bom senso,

ser revista momentaneamente,

porquanto ele próprio, município;

não consegue acelerar a demanda do caos do trânsito herdado do governo anterior e, que os três candidatos,

que buscavam a prefeitura sabiam, portanto há um ano.

Amanhã, terça-feira, 17, acaba o prazo para os interessados em administrar o serviço apresentar recurso.

Sobraram uma empresa de Lajeado e um Consórcio de Minas Gerais,

pelo que informa o secretário de Administração, Valdir Farina.

Até a manhã desta segunda-feira não foi apresentado recurso algum.

Torcemos para que o prazo termine e aí a prefeitura possa marcar uma data,

e se tudo correr bem, até final de semana abrir as propostas.

A torcida erechinense não tem preferências nesta hora.

Todos os motoristas e proprietários de empresas  são Grenal FC,

ou seja, vença quem vencer, o que todos desejam é que se abram espaços para estacionar no centro da cidade e adjacências.

Lembrando: na área azul 30 minutos sairão por R$ 1,5; uma hora por R$ 3 e duas horas R$ 6.

Sempre destacando que o pagamento será por tempo e não por vaga.

Pode-se pagar R$ 6 e se sobrar tempo das duas horas compradas,

pode-se estacionar o restante em outra vaga.

Que a terça-feira chegue ao seu final sem recursos e a prefeitura marque de uma vez

a abertura das propostas que aqui mesmo neste espaço foi prevista, pelo secretário para dia 29 passado.

Não aconteceu – talvez por que agosto!

Em 30 dias o serviço poderá ser iniciado e em 60 implantado a pleno.

É ver para crer.

O atraso nessa questão está estacionado tempo demais,

e sem pagar nada,

para uma cidade que já tem até show com padre/cantor em louvor ao seu centenário.

Resolvida essa questão é bem possível que as redes sociais sejam menos amargas para com o prefeito.

Publicidade
Publicidade