a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Estado

Publicidade

Avaliação de rodovias gaúchas avança nas classificações “boa” e “ótima”

Em comparação com 2015, rodovias classificadas como boas e ótimas subiram de 12,3% para 23,7% em pesquisa da CNT

Por: Asscom
upload_2017110918175018094726_10436_gd

As estradas do Rio Grande do Sul apresentaram melhorias significativas em relação ao ano de 2015, conforme aponta a 21ª Pesquisa de Rodovias da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada nessa quarta-feira (8). Em comparação com a edição daquele ano, as vias deram um salto nas classificações boas e ótimas, saindo de 12,3% para 23,7% em 2017. A CNT analisou 105.814 quilômetros de estradas, 2,5% a mais do que em 2016 – sendo 8,8 mil quilômetros no RS -, para levantar as necessidades de investimentos das principais rodovias do país.

Há dois anos, a pesquisa não registrava rodovias classificadas no quesito ótimas, mas este ano o percentual aparece em 1,5%, o que representa melhora considerável. Entre as classificadas como ruins e péssimas, houve decréscimo entre os dois períodos comparados. Em 2015, 15,4% classificavam as estradas como péssimas, percentual que baixou este ano para 8,5%.

Para o secretário dos Transportes, Pedro Westphalen, o resultado destaca os esforços do governo do Estado para melhorar a situação das rodovias de 2015 para cá. “Com a determinação para identificar as carências e criar ações importantes de infraestrutura, podemos confirmar com este resultado o progresso das nossas estradas, o que ainda está em andamento. Há dois anos, não existia nenhuma rodovia ótima e hoje enxergamos diferente”, afirma.

Apesar da crise, na avaliação do secretário, a união de esforços permitiu ao Estado qualificar a malha rodoviária regional, garantindo o escoamento da produção e mais qualidade de vida aos gaúchos. “Ainda não é o ideal que gostaríamos, mas com os programas de recuperação, iremos avançar muito mais”, acrescenta Westphalen.

O titular da pasta destacou ainda que, a ERS-332, classificada como péssima, já está em obras através do programa Restauro “essa pesquisa foi feita antes de algumas recuperações, se ela tivesse sido feita hoje, teríamos outros resultados, como por exemplo na ERS-332, em Soledade onde 65% das obras já estão concluídas e estão em ritmo acelerado” finalizou. Na região norte, o programa Restauro abrange os 41,6 quilômetros da RSC-153 entroncamento com a ERS-332 entre Barros Cassal e Soledade.

Recuperação

Em três anos, o governo do Estado restaurou e construiu mais de dois mil quilômetros de estradas. Esse número foi possível graças aos programas de Contrato de Restauração e Manutenção de Rodovias – Crema, Restauro, Acessos Municipais e Convênios. Os projetos são executados pela Secretaria dos Transportes, Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) e Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer).

Acessos municipais

Nove acessos foram concluídos e 21 estão em andamento. São eles: Boa Vista do Cadeado, Arroio do Padre, Braga/Campo Novo, André da Rocha/Nova Prata, Esmeralda, Tapejara/Santa Cecília, Feliz/Linha, Barra do Guarita e Maçambara.

Convênios

Já são 13 convênios concluídos com recursos do BNDES e um está em andamento. As cidades contempladas foram: Charrua, Cruzeiro do Sul, Entre-Ijuís, Júlio de Castilhos, Marcelino Ramos, Nova Roma do Sul, Nova Santa Rita, Rolante, Santo Ângelo, Tapejara, Santiago, Taquari e Vale do Sol.

Restauro

Com investimento de R$ 264 milhões, o programa abrange 15 lotes de estradas somando 700,6 quilômetros de restauração completa das vias. Deste montante, 400 quilômetros já foram recuperados.

Cremas

Está em andamento a restauração de 1165,95 quilômetros de estradas com os cremas Serra, Santa Maria/Cachoeira do Sul, Passo Fundo/Palmeira das Missões, Passo Fundo/Cruz Alta e Crema Erechim, que abrangem diversas regiões do Rio Grande do Sul.