a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Política

Publicidade

Câmara abre 2018 com menos partidos do que no início da atual legislatura

Maiores legendas perderam espaços. MDB tem a maior bancada, seguido por PT. 116 mudaram de partido desde 2015

Por: Da Redação
Fotos: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Brasília - Tem início a votação da autorização ou não da abertura do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, no plenário da Câmara dos Deputados (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A Câmara dos Deputados retorna às atividades nesta segunda-feira (5.fev.2018) com menos partidos que o início da 55ª legislatura. Em 2015, os 513 deputados estavam distribuídos por 28 legendas. Atualmente, o número é de 25 partidos.

As informações deste texto são do Poder360, dirigido por Fernando Rodrigues, que publicou reportagem a respeito desse tema. Três das 5 maiores legendas perderam representantes na Câmara. O PT (Partido dos Trabalhadores) foi o que mais registrou deserções, deixando de ser a maior bancada da Casa. Em 2015, a sigla tinha 70 deputados filiados. Hoje, são 57. Ou seja, 13 deputados a menos.

O atual maior partido da Câmara, o MDB (Movimento Democrático Brasileiro), tem 7 deputados a menos que o início da legislatura. Caiu de 66 para 59 nesse período.

O PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) perdeu 8 cadeiras. De 54 deputados em 2015, passou a ter 46 em 2018.

O PP, que pediu para o TSE a oficialização de mudança de nome para Progressistas, ganhou 10 cadeiras e empatou com o PSDB. São 46 deputados filiados ao partido.

O DEM, partido do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), expandiu-se em mais 9 cadeiras. São 31 deputados. E pode crescer nas próximas semanas. O partido aguarda o posicionamento de 3 deputados que deixaram o PSB (Partido Socialista Brasileiro): Fábio Garcia (MT), José Reinaldo (MA) e Tereza Cristina (MS).

Nos últimos 3 anos, 4 siglas ficaram sem representantes na Casa. São eles: PTC (Partido Trabalhista Cristão), PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro), PSDC (Partido Social Democrata Cristão) e PMN (Partido da Mobilização Nacional).

A Rede Sustentabilidade foi o único partido que não elegeu deputados em 2014 que conseguiu manter representantes nesse início de 2018. O partido da pré-candidata ao Planalto Marina Silva ganhou 4 deputados: Alessandro Molon (ex-PT), Miro Teixeira (ex-Pros), Aliel Machado e João Derly (ex-PC do B).

O Podemos foi a legenda que ganhou mais espaço nesse período. Em fevereiro de 2015, quando ainda era chamado de PTN (Partido Trabalhista Nacional), o partido tinha 4 deputados.

Depois de promover um rebranding no ano passado (incluindo a mudança de nome), trouxe 14 para a sua bancada. O saldo atual, após duas saídas, é de 16 deputados. São 12 cadeiras a mais que em 2015.

Os 14 que entraram no Podemos fazem parte de 1 grupo formado por 116 deputados que trocaram de partido desde 2015. Acesse aqui a lista completa.

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade