a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Leitura

Publicidade

Cobra Norato e outras miragens é uma boa dica de leitura

Habilis Press Editora apresenta seu novo título de leitura para crianças

Por: Isadora Guazzelli
Fotos: Ilustração
7cd40e02-91f5-40e2-a64f-aad58a953bba

A Habilis Press Editora apresenta neste mês o seu mais novo sucesso da literatura infantil “Cobra Norato e outras miragens”. Escrito por Eloí Bocheco, a história revela contos do folclore de uma forma diferente e encantadora para as crianças. O jornal Atmosfera entrevistou a autora, que revela o que a motivou a escrever o livro.

Eloí Bocheco conta que sua principal motivação foi as lembranças de sua infância. “No livro Cobra Norato e outras miragens, faço uma homenagem, em versos, aos personagens do folclore que povoaram a minha infância. No campo, antigamente, estas histórias eram contadas e recontadas pelos mais velhos inúmeras vezes. De tal modo, estas mágicas entidades eram incorporadas no imaginário que se tornavam amigos de infância das crianças. O Negrinho do Pastoreio tinha um portão de madeira só dele, onde colocávamos, por escrito, os pedidos para encontrar coisas perdidas. Pedro Malasartes era um hóspede bem-vindo, que podia escolher para si o melhor assento nos serões. O Saci andava solto pelos terreiros, pastos, matos, campinas, restingas… “O Saci passou por aqui” – reclamavam as gentes grandes diante de imbróglios difíceis de desenrolar”, conta a autora.

“Quando brincávamos de atirar pedrinhas nas águas de lagos, riachos, lajeados, pra ver os círculos se formarem, lançávamos as pedrinhas com cuidado para não ferir a Iara, ou mãe d’água. Diziam que, ao meio dia, ela dormia nas profundezas e, nessa hora, poderíamos atirar pedrinhas sem risco para a vida da moça das águas.
Curupira, Pisadeira, Boitatá, Caboclo D’água, dentre outros seres que são homenageados nesta obra, foram grandes companheiros de minha infância camponesa. O folclore era o alimento literário por excelência das crianças do interior, nos anos de 1960”, revela a autora.

“Por outro lado, a escola primária usava muitas lendas como material de leitura. A lenda do uirapuru, da vitória-régia, da mandioca, faziam parte de um livro didático. Na verdade, essas lendas eram os únicos textos lúdicos do livro escolar. Foi uma memória feliz que me seguiu vida afora. Tive muito prazer e uma enorme alegria ao escrever esta obra de celebração do nosso folclore. Espero que o livro encontre muitos leitores e lhes proporcione bons momentos de ludismo, magia e encantamento”, finaliza a autora.

O livro pode ser encontrado através do site da editora, http://habilispress.com/produto/108/cobra-norato-e-outras-miragens e pode ser enviado para todo o Brasil.

Cobra Norato e outras miragens

Capa e VersoCriados pela imaginação poética dos povos do campo e da mata, finas visagens do nosso cancioneiro, as figuras do folclore brasileiro, revisitadas nesta obra, desafiam o tempo e seguem com brilho próprio, pródigas em sortilégios e encantamentos. De suas paragens de origem, espalharam-se me todos os rincões, compondo graciosamente um legado coletivo.

Homenageá-las, em verso ou prosa, é um modo de regar raízes caras à memória, e, também, uma forma de cultivo de parte de um repertório imprescindível da cultura oral brasileira.

E vem o brincante Saci, o atento Curupira, o valente Negrinho do Pastoreio , a assustadora Pisadeira, o belo Cobra Norato, o luminoso Caboclo D’água, a esvoaçante Iara, a reluzente mula-sem-cabeça, o esperto Pedro Malazartes, o melodioso Uirapuru, a alva Mani, o incandescente Boitatá, a espantosa mula-sem-cabeça, a imprevisível Matinta e outras encantadoras miragens, celebradas em versos, com singelas rimas de sincera afeição.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE