a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Política

Publicidade

Ernani Mello deixa o PDT, mas mantém sonho de ser prefeito de Erechim

Saída do ex-vereador é consequência do resultado da convenção do dia 5 de agosto de 2016, quando o partido abriu mão de candidatura própria com Ernani, para ter Lando como vice de Schmidt

Por: Ivanor Oliviecki
ernanimello

Uma das principais lideranças do PDT de Erechim, Ernani Mello, deixou o partido. O pedido de desfiliação foi entregue pelo ex-vereador na segunda-feira, dia 5, e é uma consequência da frustração de Ernani com as eleições municipais de 2016. Não pelos resultados do partido nas urnas, mas pelo PDT não ter tido um “protagonismo no pleito municipal”, nas palavras do próprio Ernani. “Eu queria o PDT protagonista, até pelo crescimento que o partido teve na última década”, destaca.

O ex-vereador iniciou na política pelo PMDB, partido pelo qual exerceu dois mandatos como vereador. Em 2006 ingressou no PDT, passando em seguida a ocupar o cargo de presidente, função que exerceu durante 10 anos. “Reconstruímos o PDT. O partido não tinha nenhum vereador, e nas eleições de 2012 conquistamos duas cadeiras na Câmara de Vereadores, e fomos o terceiro partido mais votado, atrás apenas do PT e do PMDB, que formavam o governo”. Naquelas eleições foram eleitos o próprio Ernani e também o atual vice-prefeito de Erechim, Marcos Lando. “Em 2016 repetimos os resultados na proporcional, e sem coligação para vereador, e mesmo sem os vereadores com mandato concorrerem, conquistamos duas cadeiras na Câmara com nomes novos. Dos 20 candidatos a vereador, 16 eram de novos filiados, o que demonstra o trabalho de novas filiações, resultado do crescimento do PDT”.

Na opinião de Ernani, com o partido consolidado era hora de buscar a Prefeitura, e ele se preparou e almejava concorrer a prefeito em 2016. O partido decidiu coligar com o PSDB, ocupando a vaga de vice de Luiz Francisco Schmidt, que acabou se elegendo. Após deixar a presidência do partido em 2017, a desfiliação de Ernani que já se apresentava como inevitável ainda na noite do dia 5 de agosto de 2016, quando o partido preferiu compor com Schmidt ao invés de ter candidatura própria, se confirmou no início desta semana. “Saio do PDT, mas permaneço na política”, confirma Ernani, revelando ainda que seus próximos passos, que serão tomados com calma, visam às eleições municiais de 2020.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade