a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Educação

Publicidade

Escola da URI representará o Brasil no Fórum Internacional Pierre de Coubertin

Os representantes da Escola vão participar de workshops, conferências, atividades e uma série de iniciativas de intercâmbios culturais

Por: Ascom
111789

Pelo segundo ano consecutivo o Brasil será representado pela Escola de Educação Básica da URI Erechim no Fórum Internacional Pierre de Coubertin. Neste ano, a programação será desenvolvida na cidade de Ülenurme, na Estônia. As alunas Helena Severo da Fonseca, Andriele Miozzo Soares, Louise Zanardo Sartori e Liege Baggio Boroski serão acompanhadas pelo professor Edenir Serafini e embarcam no próximo dia 17. O 11º Fórum acontece entre os dias 19 e 26 de agosto e honra a contribuição de Pierre de Coubertin para os Jogos Olímpicos.

As alunas passaram por um intenso processo de seleção para representarem o país e a Escola nesta importante missão. Além de serem maiores de 16 anos, possuírem inglês fluente e envolvimento em atividades sociais, exigências básicas do comitê organizador do evento, a Escola também solicitou memorial dos relatos das atividades sociais, provas de conhecimentos específicos em inglês e provas de fluência.

Os representantes da Escola vão participar de workshops, conferências, atividades e uma série de iniciativas de intercâmbios culturais, falando sobre o Brasil e o Rio Grande do Sul, uma vez que o evento foi criado visando incentivar a juventude não só na excelência desportiva, mas também para desenvolver o intercâmbio cultural e os ideais educacionais.

De acordo com o professor Edenir, “sabemos que o esporte é uma ferramenta que proporciona muito esses valores e que não está inserido apenas na competição. Então, queremos mostrar que não existe só competição no esporte, estando em um berço do conhecimento que é uma Universidade e uma escola. Unimos o útil ao agradável e o projeto de Educação Olímpica foi sendo desenvolvido, resultando nesse reconhecimento e nessa certificação; e como consequência, agora, nessa oportunidade de trocar experiências com outras escolas do mundo”.

A expectativa das alunas é bastante positiva, uma vez que elas têm participado ativamente das diversas iniciativas da Educação Olímpica da Escola, muito antes do projeto estar consolidado. Ainda, o estímulo foi ainda maior com a primeira participação da Escola no Fórum, que aconteceu em 2015, na Eslováquia, também com o professor Edenir e as então alunas Alexandra Zanella Schuchmann e Fabiana Pezzin.

De acordo com Louise Zanardo Sartori, “quando fizeram o primeiro fórum em 2015, quando as meninas apresentaram o projeto, eu fiquei bem interessada. Desde aquela época pensei a respeito disso e fiquei sabendo que o próximo seria em um ano que eu poderia ir”.

Andriele Soares ressaltou: “O esporte foi sempre onde me encontrei dentro das atividades que eu desenvolvia. Comecei a fazer patinação aos 8 anos e judô no segundo ano. Foi ali que eu percebi que me sentia bem fazendo aquilo. Quando a Alexandra e a Fabiana apresentaram sobre a experiência delas, olhei para a Louise e falei que iríamos participar também”, lembrou.

Helena da Fonseca segue a mesma linha de motivação das colegas. “Desde a palestra (das meninas) ficamos de olho nisso. Quando recebemos o convite da escola para participar, realizamos a inscrição. Posteriormente, teve uma reunião para explicar o processo de seleção e alguns até mesmo desistiram. Naquele momento, parei e pensei se realmente queria isso, pois teria que estudar. Pela oportunidade, experiência e pelo convívio. É a única escola do Brasil que proporciona isso aos alunos”, enalteceu.

111790

Liége Boroski também destacou a experiência e a oportunidade que terá de conhecer outras pessoas e culturas por meio do esporte. “Eu sempre gostei de esportes e eu acompanho desde pequena o trabalho da escola com o mini-tênis, por exemplo. Quando eu fiquei sabendo da oportunidade da viagem, eu achei que me encaixaria e que seria uma boa oportunidade. Eu adoro viajar também, conhecer novas culturas… Então, achei muito legal o fato de que terá uma delegação de cada parte do mundo. Acho que será uma troca de experiências muito boa”.

De acordo com o Diretor, professor Alan Bresolin, a Escola está em total consonância com os objetivos promovidos pelo Fórum. “Quando o Barão Pierre de Coubertin concebe a ideia dos jogos olímpicos modernos, ele também não estava pensando só no esporte. Isso se relaciona muito com o nosso fazer pedagógico como escola. Quando ele pensa nisso e desenvolve toda essa temática em torno de três valores – o respeito, a amizade e a excelência –, ele está casando muito com o papel social das escolas que é promover o esporte, assim como a cultura, a arte e o conhecimento por meio dessa integração. Muitas vezes nos perguntam, em entrevistas, se desenvolvemos todas as modalidades olímpicas. Na verdade, trabalhamos com um programa de educação olímpica. Isso também é esporte”, destacou.