a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Educação

Publicidade

Estudantes do Marista Medianeira conquistam aprovações em universidades federais

Marista Medianeira também já conta com aprovados em universidades federais do sul do país.

Por: Asscom
Fotos: Divulgação
cartazes-vestibular_2018_2

Além das aprovações em diversos vestibulares de instituições privadas, conquistadas pelos estudantes do 3º ano do Ensino Médio em 2017, o Marista Medianeira também já conta com aprovados em universidades federais do sul do país. Confira quem são eles:

  • Ângela Bigolin:Farmácia – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – 2018/1
  • Guilherme Cervi Paraboni – Agronomia– Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Universidade Federal do Paraná (UFPR) – 2018/1
  • Guilherme Brancher – Engenharia Mecânica– Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e IFRS – Câmpus Erechim – 2018/1
  • Marina Gonçalves– Pedagogia – Universidade Federal Fronteira Sul (UFFS) – 2018/1

Para o estudante Guilherme Cervi Paraboni, aprovado em três universidades federais e em uma particular no curso de Agronomia, sua formação desde a Educação Infantil até a conclusão do Ensino Médio no Marista Medianeira fizeram a diferença. “Me orgulho muito do Colégio, por ter ajudado a me tornar quem sou hoje. Uma instituição onde me sentia bem em todos os sentidos, educação, esporte, lazer, companheirismo e amizade.”

Sobre sua rotina de estudos, o estudante conta que desde que entrou no Ensino Médio, aprendeu a separar os estudos e o lazer. “Já no 1º ano comecei a fazer vestibulares para ter uma noção de como era. Quando entrei no 3º ano, desde o início das aulas, em média dedicava duas horas de estudo em casa, com foco para o Enem e vestibulares. Também sempre tive muito apoio e incentivo de minha mãe, amor e carinho de meus pais e minha família, o que foi fundamental para as minhas aprovações”.

A estudante Ângela Bigolin, aprovada em Farmácia pela UFSC, e também em Medicina, pela Universidade Comunitária Regional de Chapecó (Unochapecó), e Odontologia, pela URI Campus Erechim, acredita que o principal fator que a ajudou a conseguir bons resultados foi ter dado o seu melhor nos estudos. “Como eu realizei o Ensino Médio em uma cidade diferente da minha, eu não tinha horários definidos e nem uma rotina fixa de estudo, porém todos os dias eu estudava e o tempo que eu reservava, em geral 3 horas, era de total dedicação. Conhecendo como era minha maneira de aprender, fiz muitos resumos bem explicativos e questões de vestibular. Sempre me preocupei com problemas sociais, os quais o Colégio muitas vezes debatia, o que me ajudou muito na redação.” Além das aprovações, a estudante tirou 900 na redação do último Enem.

Para os estudantes que estão no período de estudos para o vestibular, Ângela deixa um recado: “No Ensino Médio sempre temos muitas indecisões, mas a todo momento eu tive muito claro para mim mesma que não importava qual caminho eu iria escolher, eu iria trilhá-lo com excelência, dando o meu máximo. E é o que eu vou continuar fazendo nessa nova etapa em busca da aprovação em Medicina em uma faculdade federal. Minha dica é: sempre faça o seu melhor e lembre-se que todo o esforço é um dia recompensado.”

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade