a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Agronegócio

Publicidade

Falta de chuvas poderá prejudicar lavouras de verão

A falta de chuvas poderá ocasionar perdas nas lavouras de verão. As lavouras de milho estão com 30% da área plantada em fase de germinação e desenvolvimento vegetativo, 50% em floração e 20% em enchimento de grãos, segundo o informativo conjuntural do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim.  Já o milho silagem está com 20% […]

Por: Asscom
soja

A falta de chuvas poderá ocasionar perdas nas lavouras de verão. As lavouras de milho estão com 30% da área plantada em fase de germinação e desenvolvimento vegetativo, 50% em floração e 20% em enchimento de grãos, segundo o informativo conjuntural do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim.  Já o milho silagem está com 20% em desenvolvimento vegetativo, 50% em floração e 30% em enchimento de grãos. A cultura com bom desenvolvimento bom potencial produtivo.

As lavouras de soja estão com 95% da área plantada em fase de desenvolvimento vegetativo em bom estado e 5% em floração. A recomendação técnica, segundo a Emater/RS-Ascar é, no momento, para que os produtores façam o monitoramento das lavouras e, se necessário, o combate de pragas. Alguns produtores estão iniciando os tratamentos com fungicidas.  Em algumas lavouras foi observada a compactação da terra e em outras houve ataque do Tamanduá da soja, Bicudo da soja (Sternechus subsignatus).

A cultura do feijão está com 10% em desenvolvimento vegetativo, 40% em floração, 40% em enchimento de grãos e 7% madura por colher e 3% colhido, produtividade 1800 kg/ha.

As olerículas apresentam boa produção e qualidade. A maior parte é comercializada em feiras municipais. A fruticultura também apresenta bom desenvolvimento com produção de boa qualidade.  Os produtores começam a colheita de uvas e de outras frutas como pêssego e maçã dos cultivares Eva e Princesa.

Situação das criações

O clima desta última semana foi favorável à apicultura, conforme a Emater/RS-Ascar. As colheitas realizadas até o momento tiveram boa produtividade. O mercado para o mel continua favorável. O quilo do produto esta sendo comercializado a R$ 20, 00.

As condições climáticas dos últimos dias, com intensa luminosidade e muito calor, também foram favoráveis à piscicultura. O preço das carpas, espécie mais comercializada na região, não teve alteração, permanecendo na faixa de R$ 4,00 a R$ 7,00 o quilo.

Já a bovinocultura foi prejudicada pelo clima. A baixa umidade do solo devido à falta de chuvas e as altas temperaturas dos últimos dias têm prejudicado o desenvolvimento e a qualidade das pastagens como forrageiras e milho silagem. Já para a bovinocultura de corte, a expectava é boa. O consumo da carne está em alta. A carne foi negociada a R$ 4,75/kg de boi em pé.

A suinocultura vive um momento de estabilidade. O custo de produção continua em patamares aceitáveis. O suíno foi comercializado R$ 3,10 o quilo.

Crédito rural

Até o momento foram encaminhados 5.217 projetos para investimento e de custeio, totalizando R$ 129 milhões na região. Na área de investimento foram realizados 1.183 projetos, totalizando R$ 43.434.946,00. Os municípios que mais encaminharam projetos de custeio e investimento, em 2017, foram Barão de Cotegipe, Barra do Rio Azul, Sertão, Erechim e Floriano Peixoto.

TABELA DE PREÇOS PRATICADOS NA SEMANA

Produto Preço médio da semana R$ Observações
Soja 65,50/sc em 21 dias Preço Cotrel
Milho 26,00/sc em 35 dias Preço Cotrel
Feijão 100,00/sc em 35 dias Preço Cotrel
Leite 0,92/l Preço médio ao produtor
Mel 20,00/kg Preço produtor
Carpa (peixe vivo) 4,00 à 7,00 nas feiras Preço do produtor
Suínos 3,10/kg Preço Cotrel
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE