a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Cidade

Publicidade

Mitra rescinde contrato de locação de prédio que seria destinado ao IGP

Município se comprometeu em arcar com as despesas de um novo imóvel no momento em que o IGP tiver uma equipe para atuar na região, assim como já havia sido firmado em contrato anteriormente

Por: Da Redação
Fotos: Ricardo Mecca
predio seminario

A locação de um imóvel da Mitra Diocesana para a instalação da estrutura do Instituto Geral de Perícias em Erechim se transformou em imbróglio nos últimos dias. O resultado foi a rescisão do contrato firmado entre a Mitra e o Município, com anuência do IGP.

Conforme o secretário de Administração de Erechim, Valdir Farina,  a instituição religiosa teria entrado com um pedido administrativo junto à Prefeitura para cobrança de todos os valores de aluguel que considera atrasados.

Farina explica que o contrato de locação, assinado no dia 28 de dezembro do ano passado, ainda na administração do ex-prefeito Paulo Polis, prevê que o contrato só se torna vigente a partir da emissão e recebimento da ordem de início. Na prática isso significa que o pagamento da locação, a cargo do município, só poderá começar a ser feito a partir da ocupação do imóvel, o que ainda não ocorreu. “Não temos obrigação de fazer o pagamento do valor da locação enquanto o prédio não for ocupado. E diante da situação aceitamos rescindir o contrato”, declarou Farina.

A Administração Municipal se comprometeu em arcar com as despesas de um novo imóvel no momento em que o IGP tiver uma equipe para atuar na região, assim como já havia sido firmado em contrato anteriormente.

O prédio pertencente à Mitra Diocesana, e que fica localizado junto ao Seminário de Fátima, tem quatro salas, em um total de 406 m² e que abrigariam o Posto Médico legal, Posto de Identificação, Sala Lilás e futuramente o Posto de Criminalística. O valor da locação do prédio previsto no contrato é de R$ 4.766,00 mensais.

Conforme o bispo Don José Gislon, a Mitra considerou o rompimento do contrato porque é todo um complexo de quatro salas, mas apesar do contrato não houve manifestação no sentido de ocupar o imóvel. “Pedimos de volta o espaço, comunicando o interesse na rescisão do contrato. Pensamos em dar um novo destino ao prédio. Nove meses um espaço disponibilizado e não recebemos nada durante esse tempo. Havia toda uma expectativa de que o IGP fosse ser instalado em breve, mas ninguém demonstrou interesse, então comunicamos o interesse em rescindir”.

 

Recursos para reforma já foram destinados

Conforme Ricardo Tello Durks, coordenador regional do Instituto Geral de Perícias, os recursos para as obras de adequação do prédio já foram liberados, e faltavam apenas alguns ajustes burocráticos para iniciar as adequações. ele disse que até o final do ano o IGP de Erechim estaria ocupando o novo espaço. “Assim que começarmos as obras, em menos de 30 dias devem ficar prontas, então acreditamos que até o final do ano o IGP de Erechim poderia estar funcionando no novo local”, comenta.