a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Saúde

Publicidade

Vacinação contra Influeza não atinge meta nos grupos de risco e prefeitura emite Alerta Epidemiológico

A campanha se estende até o dia 26 de maio e não deve ser prorrogada

Por: Leandro Vesoloski
Saúde

A prefeitura de Erechim, através da Secretaria de Saúde, Vigilância em Saúde, Vigilância epidemiológica e imunizações emitiu no ultimo dia 15 de maio, um alerta epidemiológico devido a baixa procura pela vacina contra a Influenza.

Desde o dia 10 de abril o Ministério da Saúde, em conjunto com as Secretarias Estaduais de Saúde e Municipais de Saúde desenvolve ações dentro da 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. A campanha se estende até o dia 26 de maio e não deve ser prorrogada.

Os grupos prioritários para receber a vacina é formado por indivíduos com mais de 60 anos, crianças de 6 meses a cinco anos, trabalhadores da área da saúde, gestantes, puépura, povos indígenas, população privada de liberdade do sistema prisional, adolescentes sob medidas sócioeducativas, portadores de doenças crônicas ou outras condições clínicas especiais e professores das escolas públicas e privadas .

De acordo com o alerta que vem assinado pelo Diretor de Vigilância em Saúde, Aldo Diligenti, a vacinação contra a influenza é uma das medidas mais efetivas para a prevenção da doença e suas complicações. O comunicado diz ainda que a vacina é bastante segura e que a ação contribui para a redução de internações e óbitos por complicações respiratórias. A cobertura geral atingiu somente 72% do total previsto.

A avaliação das metas alcançadas até o momento identificou, segundo o Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Imunizações de Erechim, que o público alvo não tem procurado as vacinas nas Unidades Básicas de Saúde.

As vacinas estão disponíveis para todo o público alvo nas Unidades Básicas de Saúde do município durante seu horário de atendimento.

A Influenza

Comumente conhecida como gripe, é uma doença viral febril, aguda, geralmente benigna e autolimitada. Frequentemente é caracterizada por início repentino dos sintomas, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia e anorexia, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza. A infecção geralmente dura uma semana e com os sintomas sistêmicos persistindo por alguns dias, sendo a febre o mais importante.

Os vírus influenza são transmitidos facilmente por aerossóis produzidos por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem três tipos de vírus influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias.

Dentre os subtipos de vírus influenza A, os subtipos A(H1N1) e A(H3N2) circulam atualmente em humanos. Alguns vírus influenza A de origem aviária também podem infectar humanos causando doença grave, como no caso do A (H7N9).

Algumas pessoas, como idosos, crianças novas, gestantes e pessoas com alguma comorbidade possuem um risco maior de desenvolver complicações devido à influenza.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE