a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Política

Publicidade

Vereadores barram título de Cidadão Erechinense a Antônio Carlos Ribeiro

Juiz foi indicado a receber honraria, mas projeto recebeu apenas 10 votos favoráveis, sendo que é necessário dois terços para aprovação

Por: Ivanor Oliviecki
camara fachada

O projeto de lei que pretendia conceder o título de cidadão erechinense ao juiz Antônio Carlos Ribeiro, levado à votação na última sessão da Câmara de Vereadores de Erechim, na segunda-feira, não recebeu o número de votos necessários para ser aprovado. O projeto encaminhado pelo vereador Rafael Ayub, do PMDB recebeu apenas 10 votos favoráveis, enquanto são necessários pelo menos 12 votos para configurar os dois terços exigidos por lei. O projeto recebeu cinco votos contrários e duas abstenções.

Proponente do projeto, Ayub lamentou o resultado da votação. “A Câmara perdeu uma ótima oportunidade de encerrar o ano com uma melhor visão por parte da sociedade. Por se tratar de um cidadão que dedicou muito da sua vida pessoal e profissional para melhorar as condições de vida da comunidade. Temos que aceitar as regras do Regimento e da Lei Orgânica, mas não posso deixar de lamentar esta opção de alguns colegas vereadores”, declarou o vereador.

O artigo 1º da Resolução n° 246, que regulamenta a concessão de Títulos de Cidadão Erechinense e Cidadão Benemérito, estabelece que para receber um destes títulos, o cidadão ou a cidadã deverá ter contribuído com seu trabalho para o desenvolvimento social, político, cultural e artístico da sociedade erechinense, por ter prestado relevantes serviços.

Numa análise na relação do magistrado com o município não faltam motivos que justifiquem a honraria. Antônio Carlos Ribeiro é natural de Lavras do Sul e mudou-se para Erechim no mês de março do ano de 1993, em razão de promoção do cargo de Juiz de Direito de entrância inicial para a entrância intermediária. Sua filha mais nova nasceu em Erechim. Desde então, optou por permanecer morando e atuando como juiz na Capital da Amizade.

Após assumir a direção do Foro, começou as tratativas com os Prefeitos e Presidentes de Câmaras de Vereadores de todos os municípios jurisdicionados na busca de doação de equipamentos para a informatização do Fórum local. É professor da URI desde a primeira turma de Direito.

Participou da criação do Conselho da Comunidade, que é um órgão que busca promover o atendimento de carências materiais dos apenados.

Além do convívio social e comunitário, Antônio Carlos Ribeiro também é reconhecido por seu veio artístico, tanto na música quanto no cinema.

Neste ano já foi rejeitada a proposta de concessão de título de Cidadã Erechinense à ex-governadora Yeda Crusius. Entre pessoas que já receberam o título de Cidadão Erechim estão, por exemplo, o jornalista paulista Milton Neves Filho, que sequer mantém relação com  Erechim e tampouco participou da sessão destinada à entrega da honraria, tendo recebido placa alusiva ao título de Cidadão Erechinense posteriormente, em São Paulo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE