a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Segurança

Publicidade

Advogados de Edelvânia argumentaram que ela não tinha motivo para matar Bernardo

Defesa sustentou que Edelvânia foi pressionada por Graciele para ajudá-la a esconder o crime e coagida a manter-se em silêncio

Por: Da Redação
Fotos: Divulgação/TJRS
Jean Severo

Os Advogados Gustavo Nagelstein e Jean Severo fizeram a defesa da Assistente Social Edelâania Wirganovicz. Eles argumentaram que ela não tinha motivo para matar Bernardo. E que a participação dela no crime não é a mesma que a do pai e da madrasta. “Esperamos que vocês concluam que ela não matou esse menino e, sim, ajudou a esconder este corpo. Ou, então, entendam que a participação dela foi bem menor que a de Leandro e Graciele.”

Nagelstein retomou a versão apresentada pela cliente dele, no início da tarde, no sentido de que foi pressionada por Graciele para ajudá-la a esconder o crime e coagida a manter-se em silêncio.

O Advogado afirmou que há erros no processo e nas versões apresentadas pelos réus, inclusive a da própria cliente. “Esse processo tem seis versões.  Em qual delas vamos nos apegar? Mas tem uma certeza que não podemos deixar passar: Edelvânia e o irmão dela não tinham motivação.”

Os defensores afirmam que Edelvânia não recebeu dinheiro de Graciele e que eram dela os R$ 6 mil pagos à construtora para quitar parcelas atrasadas do apartamento.

“Tem que sair daqui condenada, mas por ocultação. Mas, no homicídio,  ela não tem dolo”, afirmou o Advogado Jean Severo. “O Evandro, nem se fala”, completou.

Quer receber conteúdo diferenciado e exclusivo? Clique aqui.

Acompanhe o ao vivo o último dia de julgamento do caso Bernardo no facebook do grupo Atmosfera de Comunicação.

oferecimento-1

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade