a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Economia

Publicidade

Atraso de repasse pelo Estado é pauta com secretário estadual de Saúde na capital

Em pauta, o atraso nos recursos financeiros por parte do governo do Estado, que vem causando transtornos financeiros a FHSTE e a Secretaria de Saúde

Por: Assecom
Fotos: Divulgação
df916ef7-8c95-4d14-89c6-174f2bdb0734

O Prefeito de Erechim, Luiz Francisco Schmidt, e o secretário de Saúde, Jackson Arpini, aproveitando a estada em Porto Alegre para encontro com o futuro governador Eduardo Leite e participação da cerimônia da entrega do Prêmio Gestor Público, estiveram em audiência nessa quarta, 7, com o secretário estadual de Saúde, Francisco Paz.

Em pauta, o atraso nos recursos financeiros por parte do governo do Estado, que vem causando transtornos financeiros a FHSTE e a Secretaria de Saúde.

O Prefeito e o secretário externaram, na oportunidade, a preocupação com relação às finanças da instituição hospitalar, visto que a municipalidade vem aportando recursos próprios para manter a normalidade dos atendimentos. Ressaltaram, ao titular da Pasta, que nos dois anos (2017/2018) o município repassou mais de R$ 9 milhões para saldar parte dos compromissos e que necessitam urgentemente de aporte financeiro estadual para manter os serviços em pleno e regular funcionamento.

O secretário, por sua vez, expôs a situação das finanças do Estado o que leva inevitavelmente ao atraso nos repasses para saúde, fato preocupante que se alastra por vários serviços de saúde, envolvendo secretarias municipais e hospitais.

Manifestou, ainda, que a partir do dia 12 deste mês saberá o montante que o Tesouro do Estado liberará para saldar compromissos na área da saúde.

O resultado da reunião deixou os representantes apreensivos, tendo em vista que não há um cronograna definido de pagamentos, estando os mesmos à mercê do fluxo de caixa do Estado.

“Estamos buscando alternativas para minimizar a situação, porém a situação financeira do Estado, pela sua complexidade e pelo momento de transição, nos coloca em situação delicada”, mencionaram as lideranças.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade