PUBLICIDADE

A Voz da Diocese

Opinião

Romaria de Fátima, graça divina para revigorar a caminhada de fé com Maria

A esplanada do Santuário de Fátima na sede da Diocese de Erexim, com suas sucessivas remodelações, especialmente a de 2017, por ocasião do centenário das aparições da Virgem Maria em Fátima, Portugal, é o espaço sagrado que acolhe inúmeros peregrinos ao longo do ano, mas especialmente na novena e romaria anual.

Neste ano, na particularidade da vacância episcopal e durante a Assembleia do Sínodo dos Bispos para a Amazônia, a romaria se reveste de dupla característica, uma de especial comunhão e corresponsabilidade diocesana e outra de caráter missionário, de abertura para a Igreja em nível universal.

Em nível diocesano, rogamos a Deus, por intercessão de Maria, que nos conceda um novo Bispo no menor tempo possível e olhe com carinho para as necessidades de toda a Diocese, para que possa responder aos desafios atuais da evangelização e prosseguir em sua caminhada histórica já próxima do seu cinquentenário. O Bispo que chegar deve encontrar as comunidades vigorosas, na alegre expectativa de uma família pelo retorno do pai ou da mãe, depois de mesmo que breve período de ausência.

Em comunhão com a Igreja em sua dimensão universal, reunidos com Maria como os discípulos no Cenáculo de Jerusalém aguardando a vinda do Espírito Santo, lhe pedimos que revigore em todos nós o espírito missionário, especialmente em relação à Igreja na Amazônia, para que ela, como deseja o Papa identifique “novos caminhos para a evangelização daquela porção do Povo de Deus, especialmente dos indígenas, frequentemente esquecidos e sem perspectivas de um futuro sereno, também por causa da crise da Floresta Amazônica, pulmão de capital importância para nosso planeta”. Em comunhão incondicional com o Papa Francisco, que passa por críticas e restrições infundadas também de membros de nossa Igreja, assumimos o Mês Missionário Extraordinário em andamento com seu tema “batizados e enviados, a Igreja de Cristo em missão no mundo” com objetivo por ele estabelecido, “que todos os fiéis tenham verdadeiramente a peito o anúncio do Evangelho e a transformação das suas comunidades em realidades missionárias e evangelizadoras; e aumente o amor pela missão, que “é uma paixão por Jesus e, simultaneamente, uma paixão pelo seu povo”.

No contexto do Mês Missionário Extraordinário e de outros aspectos, nossa Romaria assumiu o tema “com Maria, enviados em missão” e o lema, “todos os dias anunciavam Jesus”, referindo-se ao ardor evangelizador de nossos primeiros irmãos na fé cristã.

Ela nos ajudou a refletir sobre a participação na missão dos jovens, dos que exercem o poder executivo, judiciário e legislativo, dos que atuam nos meios de comunicação social, dos que cuidam da vida, especialmente nos hospitais, casas de repouso, pastoral da saúde e similares, dos educadores e estudantes, dos que atuam nas pastorais sociais pela promoção humana, da família e o compromisso missionário de cada um de nós.

Certamente, a Romaria também nos propõe alguns compromissos, o cultivo da oração pela paz e pelas famílias, como Maria pediu em Fátima; o amor à Igreja, nossa mãe, especialmente pela participação ativa em nossas comunidades; o empenho comum na implementação do novo Plano Diocesano da Ação Evangelizadora; o cuidado com a Casa Comum; o espírito crítico em relação a mensagens maldosas que circulam nas redes sociais e transmitindo apenas aquilo que edifica o bem e a paz.

Ótimo domingo e excelente semana a todos, com a graça divina e o amparo materno de Maria.

Publicidade
Publicidade