divdiv
PUBLICIDADE

Cidade

Publicidade

Comunidade questiona eficácia dos testes utilizados em campanha de Erechim

Dúvidas estão ligadas aos testes rápidos de detecção da covid-19 de empresa chinesa utilizados na campanha Testa Erechim

Por: Dhieison Cardoso
teste da covid

Muitas dúvidas, suspeitas, questionamentos e reclamações tomaram conta das redes sociais nos últimos dias. Relatos de moradores que participaram da pesquisa e campanha Testa Erechim, questionam a confiabilidade e eficácia dos testes utilizados na detecção da covid-19.

A testagem foi promovida pela Secretaria Municipal de Saúde em parceria com Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e aconteceu nos dias 10, 11 e 12 de julho. Foram realizados cerca de dois mil testes rápidos de detecção do novo coronavírus.

Objetivo da campanha Testa Erechim

”Essa pesquisa visa detectar pacientes assintomáticos em todos os bairros da cidade, a fim de verificar a velocidade de alastramento do novo coronavírus. Tal ação é para evidenciar subnotificações dos indicadores do Estado, uma vez que, no Rio Grande do Sul a cada infectado teremos, em média, sete pacientes assintomáticos.” informou a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Erechim.

Problemas com os resultados dos testes

Alguns participantes que testaram positivo à covid-19, pelo teste rápido da empresa chinesa Lepu Medical Technology (Beijing), desconfiados da confiabilidade do teste, foram até laboratórios ou hospitais da cidade para a realização de novo exame e o resultado foi diferente do apresentado na testagem da campanha.

A principal reclamação de um dos participantes, que preferiu não se identificar, é que de forma voluntária ele se prontificou em colaborar com a pesquisa, mas teve transtornos além de perder o seu dia de trabalho, um prejuízo financeiro de aproximadamente R$1.000 mil.

”Participei da pesquisa do município na testagem da covid-19 e o resultado do exame constatou positivo ao coronavírus. Imediatamente fiquei muito preocupado, pois tenho contato frequente com meus pais e crianças”, informou.

Preocupado com a situação o participante informa que ”resolvi então realizar novo teste em um laboratório especializado. Acabei pagando um teste rápido para eu e meu pai, que constatou negativo. Mas, como estava com medo acabei realizando mais um teste de detecção o RT-PCR, sendo o mais eficaz no momento, que também deu negativo”, revelou.

Revoltado com a ineficácia da testagem utilizada na pesquisa o participante desabafa ”me estragou o dia e tive mais de R$1.000 em prejuízo e agora como fico?”.

O que diz a Prefeitura

Foram diversas as reclamações do mesmo problema e a desconfiança nos resultados da testagem. Por e-mail encaminhamos questionamentos a Prefeitura de Erechim sobre a situação, mas até a publicação desta reportagem, não obtivemos resposta.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade