PUBLICIDADE

Estado

Publicidade

Confirmado primeiro caso de sarampo no Alto Uruguai

Paciente é um jovem morador de Carlos Gomes

Por: Cristiane Rhodn/CEVS
Fotos: Internet
WhatsApp Image 2020-01-10 at 15.23.47

Foi confirmado nesta sexta-feira, 10, o primeiro caso de sarampo no Alto Uruguai. Trata-se de um jovem, de 18 anos, morador de Carlos Gomes. Conforme o Centro Estadual de Vigilância em Saúde o caso é importando. O rapaz teria contraído a doença em Concórdia (SC) nos dias em que fez vestibular na cidade catarinense. Com essa confirmação, o Rio Grande do Sul alcança 63 casos de 2019 até agora. É preciso ficar atento, porque o sarampo é altamente contagioso.

A CEVS destacou que, apesar, do caso ser importado não há muita relevância no momento já que o vírus também está circulando no Estado.  Até esta quarta-feira, foram notificados 750 casos suspeitos de doenças exantemáticas – 612 de sarampo e 138 de rubéola. Desse total, foram descartados 553 casos (87%) e 33 (4,8%) permanecem pendentes, em investigação médica. A Secretaria Estadual de Saúde informa que o sarampo pode ser contraído facilmente em qualquer época do ano. Assim, o sinal de alerta permanece no Rio Grande do Sul, também devido ao alto número de casos no Brasil.

Em função da gravidade da situação, a Secretaria da Saúde reforça a necessidade de notificação dos casos suspeitos para a tomada de medidas de controle, e também da importância da vacinação da população.

Brasil

Até agora foram confirmados 17.211 casos em 24 Estados, sendo mais de 90% concentrados no estado de São Paulo, principalmente na região metropolitana da capital. São Paulo é também o estado que detém o maior número de óbitos por sarampo: 14. O 15º se registrou em Pernambuco.

O Brasil é o país com mais casos confirmados das Américas. Em segundo lugar vêm Estados Unidos (1.262 casos), seguido de Venezuela (520).

Sintomas

Os principais sintomas são: febre alta (38,5°C), exantema, cansaço, falta de apetite e sintomas respiratórios, principalmente tosse. No quadro clínico clássico há coriza (secreção nasal), conjuntivite e fotofobia (sensibilidade à luz). Casos complicados podem apresentar otites, laringites, diarreias, pneumonia e encefalites.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade