a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Geral

Publicidade

Dia dos avós, netos homenageiam seus “pais com açúcar”

A origem da data comemorativa do dia dos Avós vem do cristianismo. Esta é a data do nascimento de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria e avós de Jesus Cristo

Por: Paloma Mocellin
Fotos: Arquivos Pessoais
13866623_1124510444287251_1429442295_n (1)

Normalmente são os avós que enchem os netos de paparicos. Dizem algumas frases que avós são pais com açúcar. Se no dia-a-dia esquecemos de retribuir todo o carinho e cuidado que recebemos deles, o dia dos Avós é uma ótima oportunidade para equilibrar a balança.

Por que se comemora o dia dos Avós em 26 de julho? A origem da data comemorativa do dia dos Avós tem a ver com o cristianismo. É esse é o dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria e avós de Jesus Cristo. Depois de muitas alterações na festa de São Joaquim, o Papa Paulo VI associou num único dia, 26 de julho, a celebração dos pais de Nossa Senhora.

Ana Elise Mara Jung perdeu a mãe aos quatro anos de idade e desde então é a avó quem cuida dela. “Ela é a base da minha vida, me ajudou no momento mais difícil da minha vida que foi a perda da minha mãe quando eu era muito pequena na época com quatro anos. Eu imagino que tenha sido muito difícil pra ela perder a filha e assumir tal responsabilidade, mas ela foi uma guerreira. E me ensinou muito. Temos uma ligação muito forte, de confiança, de amor e de muita preocupação uma com a outra”, diz.WhatsApp-Image-20160726

Para Ana, a avó sempre foi uma avó presente e sempre tiveram uma grande ligação.  “Mesmo antes do falecimento da minha mãe, fui uma filha muito planejada e minha avó sempre conta que ficou muito feliz que foi uma graça que minha mãe alcançou e que ela rezou muito para que eu viesse ao mundo. Numa determinada ocasião minha mãe pediu para que ela me cuidasse caso alguma coisa acontecesse com ela. Como a gente morava perto era tudo mais fácil e ela sempre estava me cuidando e desde o ventre materno tínhamos uma forte ligação”, comenta.

Ana conta que a avó é muito moderna e que elas conversam sobre tudo. “Ela Tem a mente muito aberta, a gente tem uma relação diferente. Hoje eu moro sozinha e tenho meu namorado que fica um pouco na mãe dele e um pouco na minha casa, mas a minha avó sempre aprovou muito nossa relação e dizia pra mim “rezei muito pra ti ter um namorado assim”. E que ela fica tranquila por saber que quando ela vier a faltar eu terei um apoio”.

É com a avó Bemvinda que Ana diz trocar suas maiores confidencias. “Desde trocar receitas, até falar de casamento, de namoro, de sonhos, falo de filhos. Acredite falamos de tudo mesmo. Até de coisas íntimas. Coisas que não vejo muitas meninas falarem com a mãe por exemplo. Ela me ensinou valores de fé, de amor, respeito, paciência. cuidado com a gente e com as pessoas que convivemos. Sempre me incentivou a estudar, trabalhar, ser independente e lutar pelos meus sonhos sempre com Deus ao meu lado”, conta.

“O que eu mais desejo é que meus avós tenham vida longa para me verem casando e tendo meus filhos. Isso é o que eu mais desejo de coração. Minha vó é é meu anjo que me guia aqui na terra”.

Dona Dorvalina Santin também é essencial para a neta Tanise Santin Biason, que diz sem medo “A vó é essencial na minha vida. Assim como meus pais, ela esteve sempre ao meu lado, nas horas boas e nas não tão boas. Muitas vezes, substituindo-os, enquanto eles estavam em seus compromissos. Falar das minhas avós é encher os olhos de lágrimas de felicidade. E mais, eu tenho a graça de ter as duas presentes na minha vida”.333531_226205810784390_207201442_o

Tanise conta que a relação coma a avó sempre foi intensa e cheia de amor. “Nossa relação sempre foi igual, mesmo quando morei em outra cidade para estudar. Por morar fisicamente ao lado da vó Dorva, meu dia parece que não inicia sem ganhar o seu abraço “quebra-costela” (é assim que ela chama a nossa troca de abraços)”.

E os valores transmitidos? A neta não cansa de citar elogios. “Caramba, os valores são inúmeros, mas acredito que o maior deles seja a doação. Com a família, com a comunidade, com todas as atividades que ela faz, com as comidas deliciosas que ela faz. Com a vó Dorva, não existe algo “mal feito”. Tudo é preparado e realizado com amor e dedicação, sempre pensando em um mundo melhor e mais amoroso”.

Para Tanise, a relação das duas é feita mais de gestos do que de palavras. “Então, eu gostaria que ela soubesse que pra ela eu dedico todo o meu amor e gratidão. Com certeza, esse é o pensamento dos outros netos e dos netos agregados que ela conquista. Por ser tão cativante, a vó Dorva é amada e admirada por onde passa. Obrigada, Vó Dorva e Vó Deolinda! Minha gratidão é eterna por vocês”.

Douglas Marek fala da “nona Olga”, para ele a importância é vital. “Ela realmente me criou. Me educou, me ensinou a rezar, a cantar, a correr atrás dos sonhos, mesmo sendo de uma família pobre. O bom da Nona é que sempre moramos perto uma casa do lado dai era demais, pois eu tomava café na minha mãe, e dai tomava na Nona, almoço na mãe, almoço na Nona e a janta também. Sempre fomos muito próximos, agora devido a trabalho faculdade atrapalha um pouco mas toda semana ou através dos telefones sempre estamos em contato”, diz.13866619_1045508252206717_2000850696_n

Para Douglas o principal valor repassado pela a vó é a perseverança de acreditar que tudo que é nosso um dia vai chegar até nós. “Ter fé em Deus pois sem ele não somos nada, ter amigos, quanto mais amigos melhor e não guardar rancor pois este apenas destrói a nós mesmos, se alimentar corretamente isso com certeza sempre ela pede. O que eu desejo a ela é que ela fique muito mas muito tempo conosco aqui neste plano, porque ela é demais, amo ela e não quero perdê-la e agradecer por ter feito o “Doga” este homem que hoje sou, bom caráter, lutador, que corre atrás dos sonhos”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade