PUBLICIDADE

Cidade

Publicidade

Diocese de Erexim comunica: Falecimento de religiosa irmã Maria Samujedem

Às 04h25 deste dia 23 de abril, aos 83 anos, faleceu irmã Maria Samujedem, da Congregação das Irmãs da Sagrada Família de Maria. Ela vinha alutando contra um câncer

Por: Ascom Diocese de Erexim
seminário

Às 04h25 deste dia 23 de abril, aos 83 anos, faleceu irmã Maria Samujedem, da Congregação das Irmãs da Sagrada Família de Maria. Ela vinha alutando contra um câncer. Estava na casa provincial das irmãs, na Rua Polônia, em Erechim, onde ocorreu o velório, com missa de corpo presente às 11h, seguindo para o cemitério de Áurea.

Em dezembro do no passado, faleceu uma irmã da Ir. Maria, também religiosa da mesma Congregação, Ir. Joaquina, com 99 anos.

Dados Biográficos da Irmã Maria Samujeden

Nasceu aos 09 de abril de 1937 em Áurea. Filha de Carlos e Estanislava Samujeden (In memória).eram 12 filhos e a Irma Maria era ante penúltima filha, vendo o exemplo de suas duas irmãs religiosas , Ir. Joaquina e Irmã Teresa, e conhecendo as irmãs da sagrada família de áurea sentiu-se chama da seguir esta vocação também entrou para o convento, no dia 15 de dezembro de 1951.

Fez sua formação na província menino Jesus em Curitiba

Fez o noviciado no ano de 1954, e sua primeira profissão dia 26 de janeiro de 1955. tendo completado 65 anos de vida religiosa.

Exerceu o trabalho  como professora em varias comunidades religiosas do Paraná e Rio Grande do sul.Também trabalhou com alcoólatras anônimos.

Na pastoral da saúde em Carlos Gomes , por 20 anos, atendia os pobres e fazia muito medicamentos naturais.  Socorria muitos com seus chás, tinturas e pomadas, pois na época não havia posto de saúde nem farmácia.

Quando veio para Viadutos deu continuidade  a pastoral da saúde. Colaborou da Caritas e  Apostolado da oração.

Trabalhos no asilo são  Vicente de Paula em São Luiz Gonzaga onde era responsável, pela espiritualidade dos internos, também ornamentava a capela  preparava a liturgia cuidava das alfaias para celebrações. E realizava visitas aos doentes internados no hospital e famílias. Sempre exerceu seu trabalho com muita dedicação e amor.

Sempre foi muito alegre e disposta sendo muito querida por todos, sempre foi muito dedicada a família com visitas frequentes, e se preocupava muito quando estes adoeciam envolvendo toda família nos cuidados, e era muito amada por eles tanto que durante sua enfermidade sempre alguém vinha colaborar dos cuidados.

Sempre muito pronta e disponível buscava seu força na oração, seu lema era: seguir a Cristo servindo os mais necessitados e pobres”.

Lutou por 15 anos contra um câncer de mama sempre com muito otimismo  serenidade, e não poupava palavras de animo aos que  enfrentavam a mesma batalha.

Agora em seus últimos meses, sofreu muito, mas jamais murmurou ou reclamou de sua doença.

Na segunda feira ultima, pediu que a levássemos para o hospital, pois sentia uma dor no peito e pressentia que seu fim estava próximo.

 No hospital falou pouco e logo entrou em coma. Faleceu na madrugada deste dia 23 de abril, às 04h24

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade