PUBLICIDADE

Cidade

Publicidade

Ex-prefeito de Centenário é condenado por improbidade administrativa

Segundo as investigações o prefeito Wilson Carlos Lukaszewski dispensava as licitações e fracionava os consertos dos veículos em mecânicas do município, por valores que chegavam a superar o valor do veículo

Por: Da Redação
Fotos: Internet
Wilson Carlos Lukaszewski

O ex-prefeito de Centenário, Wilson Carlos Lukaszewski, foi condenado por improbidade administrativa pela justiça de Gaurama. A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público ainda em 2015, após investigação que apontou irregularidades na contraprestação de serviços mecânicos e aquisições de peças para veículos e máquinas pertencentes ao Município de Centenário.

Segundo as investigações o então prefeito dispensava as licitações e fracionava os consertos dos veículos em mecânicas do município. Os valores gastos em reparos chegavam a superar o valor do veículo.
O Poder Judiciário entendeu que a finalidade era dirigir às empresas parceiras a contratação dos serviços, e que as condutas adotadas pelos investigados configura atos de improbidade, e que causaram prejuízos aos cofres públicos.

Foram condenados o ex-prefeito Wilson Carlos Lukaszewski, ex-servidora pública Lenir Antônia Katafesta Balsanello, e os empresários e empresas Daniel Babinski, Jaime João Balsanello, Jaime João Balsanello ME, Sidnei José Ogenboski, Sidnei José Ogenboski ME, Rudnei Antônio Stempczynski, Rudnei Antônio Stempczynski ME, Marcelo Biesek e Marcelo Biesek ME, ao ressarcimento integral do dano, ao pagamento de uma multa civil de duas vezes o valor do dano, tudo corrigido e com juros, e ainda a proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios pelo prazo de cinco anos, em valores que somados meio milhão de reais.

Contraponto 

A reportagem tentou contato com o ex-prefeito Wilson e com as outras pessoas condenadas, porém não conseguimos contato. Esse espaço fica aberto caso algum dos envolvidos queiram se manifestar sobre o caso.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade