PUBLICIDADE

Política

Publicidade

Famílias “beira trilhos” ameaçadas de expulsão pela retomada dos trens realizam assembleia

O Objetivo da assembleia foi entender bem o que determina a decisão da Justiça Federal, bem como, discutir com as famílias como garantir seus direitos, principalmente o de moradia

Por: Ascom
Fotos: Divulgação
eb94ede0-0358-4af2-9712-5c64e146baee

A decisão da Justiça Federal em Erechim, que determinou um prazo de até dois anos, a contar do dia 06 de novembro de 2019, para que todas as famílias sejam retiradas da faixa de domínio (15 metros) tem tirado o “sono” de aproximadamente 500 famílias, pequenos e médios comerciantes.  A empresa Rumo, antiga América Latina Logística -ALL já foi comunicada da decisão pelo Ministério Público Federal (MPF).

Durante a assembleia, houve diversos relatos de famílias que moram a mais de 30 anos nesta área. “Criei meus filhos morando ali”, disse uma senhora.   Outro morador disse que  “foi morar nesta área por necessidade e falta de opção. Eu trabalho, meus filhos trabalham, pagamos nossa luz, nossa água,…, mas a quanto tempo o município não oferece uma opção de moradia que a gente possa pagar?”

A decisão das famílias é não sair sem que seja garantido o direito de moradia. Também propuseram organizar uma audiência pública sobre o tema, buscando a presença do MPF, Justiça Federal, Prefeitura municipal e vereadores.

A assembleia que ocorreu no último sábado (18) e reuniu 300 pessoas na Comunidade São Vicente de Paulo. Além dos moradores, participaram também as associações dos moradores, entidades sociais e o Sr. Paulo Paulo Carbonari que é membro da Comissão Nacional dos Direitos Humanos (CNDH).

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade