a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Estado

Publicidade

Liziane Bayer trabalha pelo combate ao suicídio

Enfatizando a importância de pais, escolas, igrejas, entidades assistenciais, sociedades médicas e o poder público se irmanarem para vencer o tabu acerca do tema, encarando juntos o desafio

Por: ASCOM
Fotos: ASCOM
Opção 1

Alarmada com o alto índice de suicídio entre jovens e crianças, Liziane Bayer, decidiu fazer da prevenção um dos eixos do seu primeiro mandato como deputada federal (PSB/RS). Na Câmara dos Deputados, assumiu a secretaria-geral da Frente Parlamentar de Combate ao Suicídio e Automutilação, além de ser a relatora setorial da subcomissão de Adoção, Família e Pedofilia, vinculadas à Comissão de Seguridade Social e Família.

Liziane destaca que a taxa de suicídio na faixa etária de 10 a 14 anos aumentou 40% em dez anos no país. “É evidente que não podemos reduzir a questão somente à família, pois há aspectos clínicos relevantes que devem ser considerados. É também uma questão de saúde pública e exige, como tal, políticas públicas dirigidas e eficientes”, observa Liziane.

Segundo Liziane, o primeiro passo para mudar esse cenário é reconhecer o problema, falar e tratar. “Não podemos mais desviar o olhar devido ao desconforto gerado pelo tema. Precisamos agir na busca da valorização da vida, do fortalecimento das nossas famílias e no compartilhamento de experiências exitosas”, enfatizando a importância de pais, escolas, igrejas, entidades assistenciais, sociedades médicas e o poder público se irmanarem para vencer o tabu acerca do tema, encarando juntos o desafio.

 

Precisamos falar, precisamos agir!

Nesta segunda-feira (10), na Assembleia Legislativa, a parlamentar participou da instalação da Frente Parlamentar de Combate ao Suicídio, a qual será presidida por sua irmã, a deputada estadual Franciane Bayer. A Frente dará continuidade ao trabalho iniciado na legislatura passada por Liziane. Ambas abraçaram a causa e realizarão um trabalho em prol da vida.​ No dia 8 de julho, no auditório do Ministério Público do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, as deputadas conduzirão um seminário sobre o tema.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade