divdiv
PUBLICIDADE

Esportes

Publicidade

Minas vira para cima do Praia e é campeão da Superliga de vôlei

O Itambé Minas derrotou o Dentil Praia Clube, de virada, em Saquarema, e conquistou a Superliga 2020/21

Por: Web Vôlei
388754_962232_minasxsesi_0502_21-scaled

O Itambé Minas é campeão da Superliga Feminina de Vôlei 2020/21, com uma virada incrível no placar, mas principalmente com uma virada emocional. Depois de perder dois sets por placares dilatados – 25-13 e 25-12 -, o time do técnico Nicola Negro teve maturidade e frieza para vencer o quarto set, levar o jogo para o tie-break e ganhar do Dentil Praia Clube com parciais de 25-17, 13-25, 12-25, 25-18, 15-11. Venceu o time que fez a melhor campanha na fase classificatória – com apenas uma derrota em 22 jogos, que conquistou a Copa Brasil e o Campeonato Mineiro em cima das tradicionais rivais.

Venceu também quem soube administrar os nervos no set decisivo, disputado na noite desta segunda-feira (05.04), no Centro de Desenvolvimento do Voleibol, em Saquarema (RJ), no terceiro confronto do playoff da final. O Minas perdeu o primeiro jogo e venceu os dois seguintes, fechando a série melhor de três em 2 a 1, de virada.

A ponteira norte-americana, do Minas, Megan Easy, foi a maior pontuadora do jogo, com 25 pontos, seguida pela dominicana Brayelin Martinez, com 22.

Depois de um primeiro set muito agressivo no saque e no ataque, o Minas sofreu um apagão. E o Praia voltou a fazer o jogo firme que fez na primeira partida na final, sacando taticamente muito bem e contando com os erros de passe e ataque da equipe da capital. O jogo foi equilibrado no segundo set até o 12º ponto, quando Michelle foi para o saque e só saiu de lá no 24 a 12, sacando sempre no mesmo lugar, na posição 5.

As praianas voltaram com a mesma confiança no terceiro set. fizeram 8 a 1 na base do saque forçado. O Minas estava acuado. Dos 12 a 12 do segundo set até esse placar, o Praia fez 22 pontos contra apenas dois do Minas – sendo que um deles nem foi mérito do Minas, foi num erro de saque de Fê Garay.

Com a confiança em alta, o Praia voltou a fazer o seu jogo: bom volume de jogo e contra-ataque fulminante. E, dessa forma, só aumentou a vantagem no marcador: 20 a 10. O Minas seguia perdido em quadra, inseguro no passe e no ataque. Nicola Negro tentou de tudo. Colocou Camila Mesquita no lugar de Cuttino, Kasiely no de Megan e Pri Heldes no de Macris. Mas, o Praia seguia avassalador. Claudinha distribuiu muito bem, foi rápida, veloz e homogênea, fazendo boas escolhas e driblando o bloqueio do adversário.

O Minas voltou para o quarto set com Camila Mesquita no lugar de Cuttino e abriu 8 a 4, mas o Minas voltou a ter dificuldade no passe e no side out e viu o Praia empatar em 11 a 11. A equipe do Triângulo, ao contrário, contava com a eficiência no ataque de Brayelin Martinez e Fê Garay. Thaisa foi novamente muito marcada nos primeiros sets, mas foi bem na quarta parcial e marcou seis pontos. Macris foi para o saque com o placar 17 a 16 e só saiu de lá no 24 a 18, com Cuttino de volta à quadra, fazendo dois pontos importantes no bloqueio. Numa china com Thaisa, o Minas fechou o set em 25 a 18 e empatou o jogo: 2 a 2.No tie-break, o jogo foi equilibrado até o quarto ponto, quando Macris foi para o saque e só saiu de lá no 10 a 5. Paulo Coco colocou Anne em quadra e ela virou três bolas importantes, mas o Minas manteve a eficiência no side out para fechar o set em 15 a 11.

GIF-patrocinio esporte
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade