divdiv
PUBLICIDADE

Cidade

Publicidade

Município decreta luto oficial pela morte de Fábio Koff

Ex-dirigente do Grêmio passou boa parte da vida em Erechim

Por: Da Redação
fabio koff

O prefeito Luiz Francisco Schmidt, de Erechim, decretou luto oficial de três dias pela morte de Fábio André Koff. Conforme o decreto, Fábio Koff se tornou cidadão erechinense aos 10 anos de idade, quando veio residir com seu pai, sua madrasta e seus irmãos. Na cidade, estudou na Escola Marista Medianeira, onde concluiu o atual ensino fundamental, se transferindo a Porto Alegre/RS para continuar os estudos e concluir o ensino médio. Voltou a Erechim, a pedido de seu pai, para assumir, junto com sua madrasta, o comércio da família, conhecido por “Varejo Koff”.

Retornando a Erechim, conheceu Yvonne, com quem se casou em 1957, e teve dois filhos, Fabinho e Alexandre. Por influência da esposa, voltou a estudar, cursando Direito na Universidade de Passo Fundo.

Nesse período em Erechim, além de sócio da loja, começou a se envolver com o futebol local, sua paixão. Foi jogador, atuando como meia-direita do Clube Esportivo e Recreativo Atlântico, do qual também foi Vice-Presidente e treinador, recebendo o título de Sócio Remido do Clube pelos serviços prestados. Sob seu comando o Atlântico obteve muitas vitórias, sendo tricampeão de Erechim, tetracampeão da Zona Norte do Estado e, em 1962, vice-campeão estadual.

O Senhor Fábio André Koff assumiu o cargo de pretor da Comarca da Cidade que estava vago, sendo o suplente com as atribuições do titular, até a realização de concurso para o seu preenchimento, o que ocorreu em alguns meses.

Foi convidado para ser treinador do Ypiranga Futebol Clube, com o qual firmou seu primeiro contrato profissional como treinador. Em 1964 deixa o Clube para assumir o concurso que havia feito para Juiz de Direito. Com a equipe formada pelo Sr. Fábio Koff, o Ypiranga subiu para a primeira divisão do Campeonato Gaúcho.

No ano 2000, foi agraciado pelo título “Cidadão Erechinense”, através do Decreto Legislativo n.º 220, de 20 de junho de 2000, de autoria dos vereadores Aldérico Albino Miola (PTB) e Silvério Fortunato (PDT).

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade