a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Política

Publicidade

Na Câmara de Erechim, somente voto aberto é permitido

Desde o final do ano passado mudanças no regimento da Câmara de Vereadores proíbem utilização do voto secreto nas deliberações da casa

Por: Redação
Fotos: Arquivo Atmosfera
camara de vereadores erechim

As discussões sobre voto aberto ou fechado que tomaram conta do Senado Federal no começo deste mês, quando da eleição do presidente daquela casa, reverberam também em Erechim. Ainda que a maior parte dos projetos já fosse votada em tribuna pública na Câmara de Vereadores da cidade, a outorga de título de Cidadão Erechinense ainda acontecia pelo método de votação secreto até o final do ano passado. Em 2018 os vereadores realizaram uma atualização no Regimento Interno da Casa, e um das alterações foi a extinção do voto fechado.

A discussão no cenário local começou com uma proposta de emenda à Lei Orgânica Municipal, apresentada pela vereadora Sandra Picoli (PCdoB). A extinção do voto secreto nas deliberações do Poder Legislativo foi proposta pela vereadora bem antes da polêmica no Senado, mas a casa legislativa municipal também já viveu momentos delicados durante votações. Em 2017, o título de Cidadão Erechinense deixou de ser concedido ao juiz Antonio Carlos Ribeiro, em um episódio que, conforme Sandra Picoli, causou enorme constrangimento à população.

Agora, todas as votações na Câmara devem contar com voto aberto. “Vimos recentemente a rejeição que a população tem com o voto secreto, e temos que começar arrumando as coisas por aqui, pensar que aqui podemos fazer diferente”, observa Sandra.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade