- Atmosfera On.line - https://atmosferaonline.com.br -

Pardais devem voltar a funcionar nas rodovias estaduais

Nesta semana o governo do Estado deve assinar contratos com duas empresas que venceram as licitações para operação dos controladores de velocidade instalados nas rodovias gaúchas. A previsão é de que os pardais devem voltar a funcionar ate o fim de junho.

O primeiro vínculo será assinado com a Perkons. A empresa será responsável por instalar controladores que irão monitorar 68 faixas de tráfego em sete rodovias: RS-030, Osório – Tramandaí; RS-040, Viamão – Pinhal; RS-122, Portão – Caxias do Sul; RS-239, Novo Hamburgo – Rolante; RS-240, São Leopoldo – Montenegro; RS-389, Osório – Torres; e RSC-453, Venâncio Aires – Tainhas.

A outra assinatura será realizada com a empresa Fiscal Tech. Ela irá instalar pardais que irão monitorar 25 faixas de tráfego em sete rodovias: RS-135, Passo Fundo – Erechim; RS-324, Passo Fundo – Nova Prata; RS-342, Ijuí – Cruz Alta; RS-153, Passo Fundo – Tio Hugo; RSC-287, Montenegro – Santa Maria; RSC-470, Nova Prata – Bento Gonçalves; e RS-122, São Vendelino – Farroupilha.

Depois desta etapa, ainda nesta semana, o governo gaúcho deverá dar a ordem de início dos contratos. A partir daí conta-se um prazo de dois meses para que as empresas façam a instalação e providenciem a aferição dos dispositivos pelo Inmetro. Desta forma, os controladores estarão em funcionamento até o fim de junho.

– É uma diretriz do governador Eduardo Leite, portanto determinamos celeridade para que a assinatura dos contratos fosse realizada tão logo fossem resolvidas as etapas da licitação e os trâmites judiciais – afirma o secretário estadual dos Transportes Juvir Costella.

Os locais já estão definidos no edital. Serão, aliás, nas mesmas regiões onde já funcionavam até julho de 2019.  Os contratos terão validade de dois anos podendo ser prorrogado por igual período. Eles também preveem a instalação de 25 câmeras de monitoramento e 25 dispositivos de leitor automático de placas nestas rodovias. Serão investidos R$ 5,8 milhões neste período.

Os equipamentos completaram nove meses desligados desde que o contrato anterior chegou ao fim. Os pardais monitoravam o mesmo número de faixas de tráfego em 13 rodovias. Os contratos foram assinados em 2014, mas chegaram ao fim em 20 de julho de 2019.