a rádio web da cidade

AO VIVO
Baixe já seu app
PUBLICIDADE

Educação

Publicidade

Retirada de redutores de velocidade gera perigo para estudantes na BR 153

Alunos da Escola Salgado Filho disputam espaço com veículos na entrada e saída das aulas

Por: Paloma Mocellin
WhatsApp Image 2019-02-28 at 16.43.53

O ano letivo começou e com ele alguns problemas nas Escolas de Erechim. O mais recente é  na Escola Estadual de Ensino Fundamental Joaquim Pedro Salgado Filho, no bairro Aeroporto, junto à BR 153. O receio dos professores pais e estudantes é o descolamento dos alunos. A retirada dos redutores de velocidade que havia na BR 153 em frente à escola, tem gerado preocupação. A entrada e saída do colégio chegam a dar frio na barriga. Carros em alta velocidade, movimento intenso e crianças tentando atravessar a rodovia.

Os redutores de velocidade que facilitavam a passagem dos alunos foram retirados pelo vencimento do contrato entre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes e a empresa que prestava o serviço. Agora após uma nova contratação, os aparelhos deverão ser colocados novamente, e o prazo é o mês de março.

Mas, a escola tem um total de 160 estudantes e apenas 20 têm acesso ao transporte escolar. Todos os demais precisam ir e vir da escola atravessando a rodovia, sempre nos horários mais movimentados do dia. O vice-diretor, João Batista Debastiani, diz que diariamente os motoristas infelizmente passam em alta velocidade e que os sustos são inevitáveis. “São muitos alunos em todos os turnos, tanto pela manhã quanto à tarde que precisam atravessar a BR. Nós vivenciamos todos os dias quatro momentos críticos, de muito movimento e de alunos precisando chegar até a escola ou voltando para casa. Então esperamos que os redutores de velocidade sejam recolocados o mais breve possível, antes que o pior aconteça. Só queremos tranquilidade para nós, para as crianças e para os pais”, disse.

E os estudantes estão com medo. Vitor Krohe é um deles, que todos os dias precisa lidar com situações difíceis. “Muitos motoristas gritam. É difícil atravessar sem sermos xingados. Muito perigoso, até com as crianças menores, e as vezes a gente até precisa ajudar. Quase fui atropelado muitas vezes, a ultima foi uma carreta. Mas graças a Deus deu tudo certo”, disse.

O Dnit disse que a equipe já implantou os laços e sensores na semana passada, e que a instalação está prevista para o mês de março. Após a instalação será ainda ligada a energia  e realizada a medição pelo Inmetro.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade