PUBLICIDADE

Região

Publicidade

VIII Conferência Municipal de Assistência Social debateu as políticas públicas para a área

A VIII Conferência Municipal de Assistência Social, teve como tema: Garantia de Direitos no Fortalecimento do Sistema Único de Assistência Social - SUAS

Por: Assecom
Fotos: Divulgação
Prefeito Mauricio Soligo

A Prefeitura Municipal de Getúlio Vargas através da Secretaria de Saúde e Assistência Social, juntamente com o Conselho Municipal de Assistência Social – Comas, seguindo as orientações do Conselho Nacional de Assistência Social, realizou, na manhã do dia 2 de junho, a VIII Conferência Municipal de Assistência Social, tendo como tema: Garantia de Direitos no Fortalecimento do Sistema Único de Assistência Social – SUAS.

Participaram da solenidade de abertura o Prefeito Mauricio Soligo; a Primeira Dama Karina Soligo; o Vice-Prefeito Elgido Pasa e esposa Adelita Pasa; a Secretária Municipal de Saúde e Assistência Social, Graciele Débora Possenti; o Presidente da Câmara de Vereadores, Vilmar Antônio Soccol; a Diretora do Fórum de Getúlio Vargas, a Juíza Dra. Mariana Bezerra Salamé; a Presidente do Conselho Municipal de Assistência Social, Vanessa Paula Vieira; a Diretora da Assistência Social, Rita Pessoa da Silva;  e a Assistente Social da Ascar/Emater, Especialista em intervenção Social com Famílias, membro do Conselho Estadual de Assistência Social, do Conselho da Pessoa idosa e palestrante da Conferência, Isolete Magali Georg Bacca.

Em sua manifestação, o Prefeito Mauricio Soligo falou que a preocupação da Administração Municipal é promover ações que fortaleçam os vínculos com as famílias. Destacou os trabalhos que vêm sendo desenvolvidos na área da assistência social através dos programas do CRAS, como a Orquestra Sinfônica que se apresentou na abertura do evento, a escola de futebol e de Karatê, entre outros projetos envolvendo crianças e adolescentes. Soligo ressaltou, entretanto, que todo esse trabalho ainda não é suficiente. Segundo ele, investir nas pessoas será o grande desafio desse governo. Destacou o papel de todos na conferência para, juntos, encontrar soluções para que as famílias se sintam inseridas, acolhidas e parte do município.

Em sua palestra, Isolete contextualizou a história dos 10 anos de SUAS e ressaltou que “nas conferências se promove mudanças através da oportunidade de cidadania. Este é o espaço para falar, expor, opinar e principalmente decidir, por isso a importância da participação do usuário, pois nas discussões visualizam-se as oportunidades e gera a efetiva mudança”.

De acordo com Isolete, o momento de realização da Conferência é uma grande oportunidade para se avaliar em que medida a gestão compartilhada tem sido cumprida e assumida como responsabilidade política e pública por todos os atores envolvidos, como condição para: a consolidação do SUAS, a garantia de direitos socioassistenciais dos usuários e da proteção social não-contributiva; a contribuição para a equidade e para a redução de desigualdades, a organização das ofertas de modo condizente com as demandas da população brasileira, e a contribuição da política de assistência social para a melhoria das condições de vida e empoderamento dos usuários.

Isolete concluiu sua participação orientando os presentes quanto aos quatro eixos temáticos que seriam debatidos nos grupos, dos quais saíram as propostas para serem levadas à Conferência Estadual.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Publicidade